Escolha uma Página

João Guimarães Rosa faria hoje, 27 de junho, 99 anos se estivesse vivo. Médico, diplomata e escritor, o mestre mesmo diria que *não morreu, ficou encantado*. E, pra encanto nosso, sua obra permanece aí, vivíssima. Autodidata: começou ainda criança a estudar diversos idiomas, começando pelo francês quando ainda não tinha sete anos. Abaixo, trecho de uma entrevista concedida por ele à sua prima, anos mais tarde:

Falo português, alemão, francês, inglês, espanhol, italiano, esperanto, um pouco de russo. Leio sueco, holandês, latim e grego (mas com o dicionário agarrado). Entendo alguns dialetos alemães. Estudei a gramática do húngaro, árabe, sânscrito, lituano, polonês, tupi, hebraico, japonês, checo, finlandês, dinamarquês. Bisbilhotei um pouco a respeito de outras. Mas tudo mal. Estudar o espírito e o mecanismo de outras línguas ajuda muito à compreensão mais profunda do idioma nacional. Principalmente, porém, estudando-se por divertimento, gosto e distração.

Mais na biografia do mestre.

Tudo o que o Alfarrábio já publicou sobre o Rosa.